• Prefeitura de Acrelândia

Acrelândia trabalha no novo piso salarial para os professores da rede de ensino municipal

Secretário de Educação afirma que pasta trabalha no planejamento do piso salarial atualizado dos professores

O secretário municipal de educação, Nilson mendes de Carvalho, participou do programa Bom Dia Cidade na rádio Alternativa e foi entrevistado pelo radialista Adriano Mendes.


Mendes explicou que a gestão municpal desde janeiro de 2021 lidera o trabalho junto ao gabinete do prefeito, procuradoria geral jurídico e secretaria de finanças do município para garantir o pagamento do piso salarial dos professores da rede municipal de ensino.


Segundo o secretário, existe a lei aprovada que regulamenta e institui o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica, com o piso nacional do magistério em R$ 2.886,24 para uma jornada de 40 horas semanais.


O chefe da educação municipal, disse que assim que assumiu recebeu a missão do prefeito de trabalhar para que Acrelândia passe a pagar o piso nacional aos seus professores. Mendez destaca que a gestão está trabalhando no planejamento sobre a proposta do piso salarial atualizado aos professores desde de janeiro quando assumiu a pasta, mas que há demora é natural, já que qualquer aumento de despesas gera um impacto mensal nas contas públicas.


“Estamos nos organizados sobre este tema, estamos trabalhando neste planejamento para mais breve possível conceder aos professores aquilo que é de direito da classe, junto com a equipe jurídica e financeira do município, estamos vendo qual o impacto financeiro que o município poderá ter, mas já estamos avançando”, disse Secretário.

Atualmente o município de Acrelândia paga um salário de magistério na letra A (início de carreira) com remuneração de R$ 1.268,81 com carga horária de 30 horas semanais e para os professores com nível superior recebem atualmente R$ 1.788,70.


O secretário dise que esse assunto vem se arrastando desde 2018 quando a categoria entrou com uma ação na justiça para que os valores sejam revistos pelo poder público municipal. Aqui estamos trabalhando para resolver o problema no início da gestão do prefeito Olavinho, algo que vem desde 2018, pretendemos resolver no primeiro ano de mandato e de forma transparente e com a participação do sindicato e classe dos professores, tão logo, o relatório seja finalizado convidaremos a categoria para dialogar sobre o assunto e apresentar as possibilidades, pontou o secretário.